Pesquisar este blog

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Rios Voadores

O Fenômeno dos Rios Voadores

Pequenas nuvens que surgiram como resultado da evapotranspiração da floresta amazônica, em torno do Rio Juruá, AM.

O termo ‘rio voador’* descreve em termos poéticos um fenômeno real que tem um impacto significante em nossas vidas.
Os rios voadores são cursos d’água invisíveis, correntes de ar que passam acima das nossas cabeças carregando umidade e vapor de água da Bacia Amazônica para o Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil.
Ao se encontrar com certas condições meteorológicas, como uma frente fria, por exemplo, essa umidade (que a gente nem percebe) pode ser transformada em chuva. Chuva que é de suma importância para nossa vida e para a economia do país, irrigando as lavouras, enchendo os rios terrestres e as represas que fornecem nossa energia.
Por incrível que pareça, a quantidade de vapor de água transportada pelos rios voadores pode ser da mesma ordem de grandeza da vazão do rio Amazonas (200.000 m3/s). O projeto Rios Voadores coloca uma lupa neste processo, voando junto com os ventos, amostrando o vapor em busca de maiores explicações.
O Brasil tem, sim, uma posição privilegiada no que diz respeito aos recursos hídricos. Porém, com o aquecimento global e as mudanças climáticas que ameaçam alterar regimes de chuva em escala mundial, é hora de analisarmos melhor os serviços ambientais prestadas pela floresta amazônica antes que seja tarde demais.
*A expressão "rios voadores" foi utilizada pela primeira vez pelo prof. José Marengo do CPTEC.

Links de sites relacionados ao tema:
CPTEC- Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos: www.cptec.inpe.br
INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais: www.inpe.br
INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia: www.inpa.gov.br
LBA - Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia : lba.inpa.gov.br/lba/
IMAZON - Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia: www.imazon.org.br


Uma bela nuvem irrigando de graça os campos de Mato Grosso.
É possível ver a olho nu o processo de reciclagem da umidade. Pouquíssimo tempo depois da passagem da chuva, a floresta começa a lançar a umidade de volta para a atmosfera.
Cai uma boa chuva sobre o cerrado em volta do Alto Araguaia




Fonte: www.brasildasaguas.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário