Pesquisar este blog

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Economia da África

Economia da África

A África é o considerado o continente mais pobre do mundo, com Produto Interno Bruto (PIB) equivalente a somente 1 % do PIB mundial e tendo participação de apenas 2 % nas transações econômicas de todo o mundo. Cerca de 1/3 de sua população vive abaixo do nível da pobreza com menos de 1 dólar por dia. A miséria e o descaso para com esta região do planeta leva a problemas gravíssimos como a disseminação de doenças como o vírus da AIDS, do qual cerca de 2/3 da população é portadora incluindo crianças.
O principal bloco econômico da África é o SADC (Southern Africa Development Community, em português, Comunidade de Desenvolvimento da África do Sul) composto por 15 países, entre eles Moçambique, Angola, Botswana, Zimbábue, República Democrática do Congo e Madagascar. A África consiste em um continente subdesenvolvido com alguns de seus países pouco industrializados e outros ainda vivendo exclusivamente de atividades como agricultura e pecuária.
O deserto do Saara com cerca de 9 milhões de km² divide o continente africano em duas regiões formando uma barreira natural. A parte sul do continente é denominada de Subsaariana (abaixo do deserto do Saara) e são comuns nessa região doenças como a malária, AIDS e a doença do sono. Sua política é caracterizada por governos totalitários e em sua maioria corruptos. A parte norte da África possui um modelo social e econômico similar ao do oriente médio.

Atividades Econômicas da África

A principal atividade econômica do continente é a mineração.

Na África Setentrional o comércio e os serviços (como o turismo) tem grande importância.

Na África Subsaarian a principal atividade econômica é a agricultura e grande parte da produção é voltada para exportação.


Indústria

A mão-de-obra barata e as vantagens na aquisição de minérios têm atraído indústrias para o continente nos últimos anos, contudo, estas são pertencentes a empresas estrangeiras que veem no território essas vantagens. O campo das indústrias africanas não é o mais moderno e consiste basicamente em indústrias que trabalham com a matéria-prima para exportação como usinas de cana-de-açúcar, indústrias de beneficiamento de fibras de algodão e produtoras de óleo comestível.
A Nigéria é o maior produtor de petróleo do continente, seguido da Argélia.
A África do Sul é o único país que possui um diversificado setor industrial.

Exploração de recursos minerais

O continente africano é rico em minérios e fontes de energia como petróleo, ouro, zinco, urânio, ferro, chumbo, níquel, diamantes, prata, entre outros. Teve sua exploração iniciada em meados do século XIX em sua maioria por empresas norte-americanas que utilizam mão-de-obra local e empregam equipamentos modernos para a realização dessa atividade. Essa exploração quase sempre favorece apenas os países que a praticam, os mesmo instalaram portos e ferrovias no continente, mas somente para facilitar o escoamento dos recursos, sem intenção de ligar as nações africanas ou beneficiá-las.
Alguns países africanos possuem grande disponibilidade de recursos minerais mas não tem infraestrutura para explorar, como é o caso de Ruanda.
15 países africanos exploram suas reservas de diamantes e juntos são responsáveis por 50% da produção mundial. Essa enorme disponibilidade de diamantes em alguns países gerou a cobiça dos europeus e também causou muitos conflitos e mortes, como o caso dos diamantes de sangue em Serra Leoa.



Fonte: http://www.estudopratico.com.br/aspectos-da-economia-da-africa/#ixzz2jKhaqL2k (adaptado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário